Mão Santa e governador fecham acordo para reativar hospital de campanha e evitar colapso

Adversário ferrenho dos petistas, o prefeito de Parnaíba, Mão Santa (DEM) deixou de lado as arestas políticas e sentou na mesa com o governador Wellington Dias (PT) e firmaram um acordo para reabertura do hospital de campanha.

Com 100% de leitos ocupados em Parnaíba, o prefeito firmou uma cooperação técnica com o governo do estado para reativar 10 leitos de UTIs e 50 leitos clínicos no hospital de campanha Nossa Senhora de Fátima. 

Fotos: Ascom/PrefeituradeParnaíba

Os novos leitos é para evitar um colapso no sistema hospitalar. O hospital atenderá exclusivamente pacientes com covid-19. Ele funcionará como um anexo do Hospital Dirceu Arcoverde (HEDA). 

Pela parceria, o governo do estado ajudará com insumos, funcionários e equipamentos. 

Dos 28 leitos existentes de Parnaíba, todos estão ocupados. 

Participam do encontro o secretário Florentino Neto (Saúde), Rafael Fonteles (Fazenda), Alisson Bacelar (Comunicação) e o ex-governador Zé Filho, o superintendente de Atenção Primária à Saúde e Municípios, da Sesapi, Herlon Guimarães. A secretária de Assistência Social de Parnaíba, Adalgisa Moraes Sousa e secretários de Mão Santa também estão na reunião. 

Com o sistema à beira de um caos, o governo do estado teve que acionar o STF (Supremo Tribunal Federal) para o ministério da Saúde financiar 278 leitos no estado. A ministra Rosa Weber determinou imediatamente a reabertura dos leitos. 

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) já foram abertos 211 novos leitos no Piauí. O problema é que a quantidade de leitos disponíveis para o tratamento de pacientes com Covid-19 não acompanha o número de novos infectados por dia no Piauí. 
A ocupação de leitos de UTI em Teresina e na região Norte gira entre 90% e 100%.