HGV e Justino Luz ampliam estrutura e tornam-se referência no tratamento da Covid-19


O Piauí enfrenta a segunda onda da pandemia da Covid-19 e os Hospitais Getúlio Vargas (HGV), em Teresina, e Justino Luz, em Picos, ambos gerenciados pela Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh), tornaram-se referência no tratamento da doença no estado.

Ítalo Rodrigues, presidente da Fepiserh, destaca que, com a ampliação do número de leitos de UTI no HGV, a unidade de saúde passou a contar com 70 leitos de terapia intensiva e tornou-se o maior hospital do estado com capacidade de atendimento na pandemia e um dos maiores do país. “Poucos hospitais no Brasil têm essa capacidade de atendimento. Somos grandes no tamanho, mas, sobretudo, na qualidade do serviço que ofertamos”, pontua o gestor.

O Hospital Justino Luz também aumentou a capacidade de atendimento e até o fim de abril deve receber 20 novos leitos clínicos para pacientes com Covid-19 em ventilação mecânica não invasiva.

Inaugurações

Nos próximos meses, o Governo do Estado inaugura uma ala de cirurgias cardíacas no HGV, passando a atender uma demanda reprimida no estado, que atualmente só realiza esse tipo de cirurgia pelo SUS em hospital privado credenciado.

“O HGV será o primeiro hospital público do estado a oferecer cirurgia do coração”, afirma o presidente da Fepiserh, que também colocou no cronograma a inauguração do Centro de Parto Normal e a Casa da Gestante, em Picos.