Sesapi investiga 102 mortes suspeitas por Coronavírus no Piauí

A Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) divulgou nesta quinta-feira (22) que investiga 102 mortes não registradas como vítimas do coronavírus. Segundo o secretário de saúde, Florentino Neto, óbitos ocorridos em diversas datas, antes do fechamento do diagnóstico clínico, passam por investigação epidemiológica aprofundada.

“A investigação dessas mortes é para evitar distorções ou equívocos sobre qual patologia provocou o óbito do paciente. Apesar de terem ocorrido em diversas datas, a confirmação e o registro das mortes entram no sistema apenas no dia que é fechado o diagnóstico. No Piauí, todos os óbitos investigados são referentes ao ano de 2021”, explicou a Secretaria.

De acordo com a Sesapi, o boletim diário é divulgado com as mortes das últimas 24 horas e também os óbitos retroativos, que estavam em investigação e foram confirmados e automaticamente computados no sistema.

“A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se ao elevado número de óbitos que ocorreram em detrimento da segunda onda ocasionando sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19”, destacou.

Para Herlon Guimarães, superintendente de Atenção à Saúde, outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um câncer em estágio terminal, AVC ou traumatismo, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

“É importante que a população tenha ciência que no boletim que divulgamos diariamente constam óbitos do dia e óbitos acumulados que entram no sistema e contribuem para elevar as estatísticas”, contou.

Conforme o último boletim da Sesapi, o Piauí tem registrado 232.049 casos confirmados e 4.858 mortes pelo novo coronavírus.