Brasil pode sofrer isolamento econômico, diz Wellington Dias

Durante audiência por videoconferência com a Comissão Temporária da Covid-19 no Senado Federal realizada nesta segunda-feira (10), o presidente do Consórcio Nordeste, líder do Fórum de Governadores e governador do Piauí, Wellington Dias (PT), destacou que o Brasil pode sofrer um isolamento econômico devido a vacinação lenta contra o novo coronavírus.

“A notícia que nos preocupa e por isso deve ser o centro das atenções é o comunicado do ministro de que a vacinação no Brasil vai até dezembro e tem um descompasso de países com o mesmo patamar ou maior que o Brasil, porque todos estão se planejando para que a vacinação atinja um nível melhor em maio, junho e julho com uma maior totalidade das grandes economias”, destacou.

Foto: Marcelo Cardoso

De acordo com Wellington, a partir dos próximos meses, os países que são potências econômicas e estão com um alto nível de vacinação poderão isolar o Brasil por questões de saúde, mas também por questões econômicas para evitar as variantes causadas pela pandemia.

“Essa situação pode gerar um isolamento com risco econômico significativo. Por exemplo, se o Brasil fizer a imunização e tiver ainda a situação que está na Índia, qual seria a atitude do Brasil? Ter cuidados e restrições a outros países. Então eu alerto para que o Brasil não fique isolado não só por um problema de saúde, mas com medidas que afetem a economia”, ressaltou.

Além de Wellington, também participaram da reunião os governadores do Maranhão, Flávio Dino e do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja e o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, que é presidente do Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras.