PF deflagra operação contra crime previdenciário milionário no Piauí

A Polícia Federal (PF) no Piauí deflagrou, nesta terça-feira (8), a Operação Réplica contra uma associação criminosa especializada na realização de fraudes em benefícios assistenciais ao idoso. A ação visa o cumprimento de dois mandados de prisão preventiva e sete de busca e apreensão a serem cumpridos em Teresina, José de Freitas e Timon, no Maranhão.

De acordo com a PF, foram identificados 34 benefícios assistenciais com indícios de fraude no decorrer das investigações. A renda obtida de forma criminosa causou prejuízo de, aproximadamente, R$ 2,1 milhões ao INSS.

PF cumpre mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão durante operação no Piauí e Maranhão — Foto: Divulgação/PF

PF cumpre mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão durante operação no Piauí e Maranhão — Foto: Divulgação/PF

Segundo a Polícia Federal, o dano ao dinheiro público poderia ser superior a R$ 3,5 milhões, caso não tivessem encerrado as atividades criminosas.

A Justiça bloqueou, a pedido da PF, contas bancárias vinculadas a 40 CPFs envolvidos nas fraudes identificadas e suspendeu os 34 benefícios assistenciais irregulares.

PF apreendeu grande quantia de dinheiro durante a operação — Foto: Divulgação/PF

PF apreendeu grande quantia de dinheiro durante a operação — Foto: Divulgação/PF

As ordens foram expedidas pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Teresina e a operação foi deflagrada em parceria com a Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do Ministério da Economia (CGINT), em atuação da Força Tarefa Previdenciária no Piauí.

Os investigados poderão responder pelos crimes de associação criminosa, estelionato majorado, falsidade ideológica e uso de documento falso.

A operação foi nomeada devido a um dos investigados ter suas fotografias replicadas em diversos documentos de identificação, passando-se por pessoas inexistentes.