Funcionário público e sogra morrem em acidente no litoral do Piauí; dois estão gravemente feridos

O funcionário público José Geovane Gomes Filho, de 38 anos, e a sogra dele Ilza de Oliveira Pereira morreram em decorrência da colisão entre dois carros ocorrida na tarde de segunda-feira (13), na PI-116, próximo à entrada da Praia do Arrombado, em Luís Correia, Litoral do Piauí.

José Geovane Filho morreu ainda no local do acidente. A sogra dele chegou a ser levada para o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba, em estado grave, mas não resistiu e morreu.

José Geovane Filho e a esposa Lina Carla Pereira — Foto: Reprodução

José Geovane Filho e a esposa Lina Carla Pereira — Foto: Reprodução

A esposa do funcionário público, Lina Carla de Oliveira Pereira, e o irmão dela, Renato de Oliveira Pereira, continuam internados no HEDA. O diretor clínico do hospital, Carlos Teixeira, informou ao G1 que Renato está em estado grave em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).l

“O paciente teve um traumatismo cranioencefálico, fraturas em membros e uma fratura exposta em membro inferior esquerdo onde já foi realizado procedimento cirúrgico”, comunicou o diretor.

Acidente ocorreu na entrada da Praia do Arrombado, em Luís Correia, litoral do Piauí — Foto: Tiago Mendes /TV Clube

Acidente ocorreu na entrada da Praia do Arrombado, em Luís Correia, litoral do Piauí — Foto: Tiago Mendes /TV Clube

Lina está na sala vermelha, local para atendimento de pacientes graves, mas consciente e orientada. Ambos os pacientes devem ser transferidos para Teresina.

O condutor do outro carro envolvido na colisão era um empresário de Parnaíba, identificado como Ronald Santos também foi levado para o HEDA. Ele teve uma fratura em coluna, não precisou de cirurgia, recebeu atendimento e foi liberado ainda na noite de segunda.

De acordo com a Polícia Militar do Piauí (PM-PI), testemunhas relataram que a colisão foi provocada por um animal na pista. Um dos condutores teria tentado desviar do obstáculo e acabou colidindo com o carro que vinha na contramão.

“Acreditamos que tenha tido um pouco de excesso de velocidade, porque depois da rotatória do coqueiro o trânsito fica mais livre, a via, e requer um pouco mais de atenção, até porque costuma ter animal na pista”, informou o capitão Haroldo Viana.