Policiais são presos suspeitos de participação no assassinato de enfermeira piauiense em Fortaleza

Quatro praças da Polícia Militar do Ceará (PM-CE) foram presos nesta quinta-feira (6), por suspeita de participação no assassinato da enfermeira piauiense Jandra Mayandra na cidade de Fortaleza no último dia 15 de maio.

Segundo informações apuradas pela TV Jangadeiro, os policiais foram levados para a A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD). Em nota, o órgão informou que ainda há um quinto envolvido no crime. (veja a nota na íntegra no final do texto)

Jandra Mayandra foi morta a tiros por um motociclista quando dirigia seu carro em uma avenida na capital cearense. A enfermeira piauiense foi atingida na cabeça, não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no local.

A suspeita inicial era de que Jandra Mayandra havia se envolvido em uma briga de trânsito, mas a investigação ganhou um novo capítulo após vir à tona que a enfermeira piauiense já havia prestado queixa contra uma ex-colega de trabalho por ameaça.

Segundo o boletim de ocorrência, a enfermeira informou que estava sendo ameaçada por mensagens em redes sociais por essa sua ex-colega. A mulher atribuía à piauiense a responsabilidade por ter sido demitida do trabalho.

Jandra Mayandra era natural de Floriano, no sul do estado, e trabalhava em um hospital da capital cearense. Ela foi sepultada um dia após o crime e sua família pediu agilidade das autoridades policiais na identificação do responsável pelo crime e sua punição.

Leia a nota na íntegra:

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD), por intermédio da Delegacia de Assuntos Internos (DAI), e a Polícia Civil do Ceará, através do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão em desfavor de quatro policiais militares suspeitos de envolvimento na morte da enfermeira Jandra Mayandra, ocorrida em 15 de maio de 2024, no bairro Pirambu, em Fortaleza. Além disso, foi cumprido um mandado de busca e apreensão contra um possível quinto envolvido. A investigação, que teve início no DHPP, atualmente está a cargo da DAI, que busca elucidar o crime. As ações de hoje tiveram como objetivo a coleta de elementos de informação, especialmente quanto à motivação e à identificação de todos os envolvidos.